domingo, novembro 16, 2014

terça-feira, novembro 11, 2014

DNA Replication Process [3D Animation]

Bela animação didática ilustrando a replicação de DNA em procariotas. Em eucariotas há algumas diferenças.



quarta-feira, janeiro 15, 2014

Sequenciação para todos

A sequenciação de genomas particulares está mais próxima da realidade com o anúncio da Illumina da sequenciação do genoma por 1000 dólares. O sequenciador que apresentaram, HiSeq X, pode sequenciar 5 genomas humanos num só dia.

A poderosa automatização dos sequenciadores de última geração tem permito baixar os preços. A barreira dos $1000 foi ultrapassada, o que torna este serviço acessível a uma boa parte da população da classe média dos países desenvolvidos e, claro, a muitas empresas. Há aqui muita coisa a fazer para assegurar os direitos fundamentais das pessoas.

terça-feira, outubro 29, 2013

Fall Colors in Pennsylvania

Um clássico de Outono. A degradação de uma molécula, a clorofila, vista do espaço!

quinta-feira, outubro 24, 2013

Transposões de DNA e modelos experimentais



Tal como Mendel com a ervilheira, Barbara McClintock acertou em cheio no modelo que utilizou (milho) na descoberta dos transposões de DNA (ver artigo). Até aí o genoma era uma entidade estática. Com McClintock o genoma passou a ser algo de assustador. Afinal há elementos genéticos que saltam de um sítio para outro promovendo quebras de cromossomas e até inactivação de genes.

E McClintock descobriu isto através de cruzamentos e observação das cores dos grãos de milho! Cada grão é um descendente do cruzamento, assim, num só indivíduo, é possível analisar muitos "filhos". Enquanto que Mendel analisava características morfológicas em ervilheiras (cor de pétalas, cor de ervilhas, comprimento de caules, etc), McClintock analisou a cor dos "filhos" (grãos de milho) de cada cruzamento. Através da variedade de cores (amarelo, púrpura e castanho) e respectivos padrões dos grãos (ver figura), chegou à identificação de elementos genéticos.

segunda-feira, outubro 21, 2013

Epigenética e envelhecimento


Steve Horvath encontrou uma forte correlação entre idade e metilação de DNA, indicando que o grau de metilação é um relógio biológico. A correlação é muito robusta pois manteve-se em células de cancros e de pacientes de progeria (envelhecimento precocce).

Naturalmente o que se estará a medir é a actividade de um sistema de manutenção epigenética (metilação de DNA essencialmente nos promotores de genes que tem como resultado a sua inactivação) que vai modificando o DNA com grupos metilo e que se vão acumulando ao longo do tempo. No entanto os dados mostrados com as células de cancro e células estaminais são fortes indicações de que se trata de um marcador de idade.

E pronto, para além da telomerase, a "enzima da eterna juventude", e o resveratrol, a "pílula da juventude", temos a metilação como potencial alvo para aumentar a esperança de vida. O pior é que para remover os grupos metilo do DNA não basta um qualquer creme anti-rugas.